Um dos temas que mais geram polêmicas em condomínios é sobre as obrigações do síndico. Afinal, muito se pergunta pelas suas reais funções, seus deveres e o que não é de sua responsabilidade.

O síndico, é o representante legal do condomínio e exerce a função de administrá-lo de forma geral. Entretanto, muitas vezes não é assim que funciona, porque os assuntos não são muito atrativos, e por conta disso, nem os próprios condôminos se interessam por tal. E isso é um ponto negativo, porque, muitos síndicos se aproveitam disso para escaparem de suas responsabilidades.

Dentre as suas funções, estão: fiscalizar seus funcionários (zeladores, porteiros, etc.), os moradores (checar se não estão fugindo das regras do edifício), cuidar de conflitos. Além disso, ele pode realizar a cobrança judicial de atrasados, contratar e demitir funcionários, entre outros.

Porém, não é bem isso que ocorre. Muitos síndicos se aproveitam de seus cargos e do pouco interesse dos moradores para fugirem de suas obrigações. Em alguns casos, usam o seu cargo para fazer algo que não é válido, como cobrar multa fora das regras, aumentar o valor do condomínio sem a concepção dos moradores em uma assembleia. E alguns evitam o seu cargo a ponto de deixar o subsíndico cuidar de seus afazeres, mesmo sem a sua ausência.

Portanto, é fundamental que os moradores sempre acompanhem de perto os passos do síndico. E, por mais que as reuniões e assembleias não sejam atrativas, é importante comparecer, para fiscalizar o trabalho de seu síndico, e se estiver algo inadimplente, debater, cobrar, para o bem geral do prédio.

Fonte: Seu Condomínio