Investir em títulos públicos e privados é uma ótima forma de conseguir adquirir seu imóvel dos sonhos

A compra de um imóvel faz parte de um dos objetivos de vida da maioria da população. O sonho da casa própria é ainda uma forma de se alcançar a tão sonhada independência financeira. No entanto, nem sempre é um processo fácil, visto que nem todos temos disponível o dinheiro para oferecer à vista na compra de um novo lar.

Por isso, a menos que se economize desde muito novo, o que não é comum, por causa da educação financeira do país, o mais indicado a se fazer a investir uma quantia e definir o tempo necessário para mudar-se de casa e dar início a uma nova vida. Além disso, a propensão a riscos também é um fator que modifica o tipo de aplicação a se fazer.

De todo modo, aplicar seu dinheiro é o caminho mais assertivo. Mas como decidir qual investimento é o mais indicado? Fora essa, ainda existem algumas outras perguntas que fazem completa diferença no momento de definir a carteira de aplicações.

 

Quais fatores considerar antes de escolher o investimento?

 

Dois fatores são fundamentais para entender qual aplicação é a mais indicada para a compra do imóvel dos sonhos: tempo e dinheiro. Basicamente, é preciso responder a duas perguntas básicas:

  • Daqui a quantos anos pretendo me mudar?
  • Quanto posso aplicar periodicamente até o dia da tão sonhada compra?

O prazo para resgatar os rendimentos é imprescindível, pois quanto maior o tempo que o dinheiro fica na aplicação, mais pode render; da mesma forma, quanto maior o valor dos aportes adicionais, mais dinheiro disponível para a compra.

Tudo isso gira em torno também do perfil de investidor, ou seja, se o futuro comprador do imóvel é conservador, moderado ou agressivo. Isso influencia diretamente na disposição a correr riscos e, como se sabe, é possível garantir maiores retornos quando se está mais propenso a enfrentar as oscilações do mercado.

É importante lembrar-se de que a volatilidade de algumas aplicações é bastante viável quando pensamos no longo prazo, pois, ainda que determinados produtos financeiros sofram grandes altas e quedas, em períodos longos ela segue padrões em que é possível contornar prejuízos.

Por que escolher títulos de renda fixa?

De maneira geral, quando se decide comprar um novo imóvel, os títulos de renda fixa, públicos ou privados, são ideais principalmente para quem deseja realizar esse objetivo no curto e médio prazos; são opções seguras, independentemente de serem pré ou pós-fixados, e permitem bons rendimentos com segurança.

O mais indicado é investir em títulos cujo vencimento seja o mesmo do horizonte do objetivo, pois é possível sofrer prejuízos caso precise resgatar o dinheiro antes do prazo. Para as aplicações no longo prazo, para mais de cinco anos, a renda fixa também é uma opção excelente, mas, nesse caso, é possível aliar à renda variável.

Em todo caso, para as variáveis, é preciso avaliar quais aplicações são mais indicadas, pois esse tipo de investimento não combina com objetivos de prazos definidos! Para realizar o sonho de uma nova casa, nada como garantir bons rendimentos na renda fixa, para prevenir.

Dentro dela, existem os títulos públicos e os privados. Os primeiros são extremamente seguros, pois são títulos emitidos pelo governo e, por isso, possuem baixíssimo risco de mercado e de crédito; por essa razão também, não garantem retornos atraentes se comparamos com a renda variável, por exemplo.

Os segundos, no entanto, já são um pouco mais arriscados, ou seja, é válido optar por eles caso deseje um pouco mais de risco e, por consequência, retornos maiores. Por serem títulos emitidos por empresas privadas, bancos e outras instituições corporativas, existe o risco de a instituição não cumprir com seus deveres financeiros, mas, ao mesmo tempo, são oferecidos juros maiores como recompensa.

De todo modo, quando o assunto é adquirir a casa própria, um sonho que demanda grande quantidade de dinheiro, é preciso ter cautela nos investimentos e, por essa razão, ainda mais quando consideramos os prazos para realizar esse objetivo, a renda variável é a melhor opção para a maior parte dos investidores.

 

Fonte: GearSeo