Algumas mudanças simples podem diminuir os gastos do condomínio. Confira as dicas

Provavelmente, uma das maiores reclamações de quem mora em prédios ou condomínios fechados: o valor da taxa do condomínio ou simplesmente custos. Reformas, gastos, ajustes, energia, usos e melhorias acabam entrando nesse valor e, por muitas vezes, os condôminos não concordam com o pagamento e geram uma grande discussão entre sindico, zelador e moradores nas tradicionais, famosas e turbulentas reuniões de condomínio. Mas, será que esse assunto tem alguma regra e pode haver diminuição no valor final de todo mês?

Bom, fizemos algumas pesquisas e analisamos que é possível, sim, diminuir os custos do condomínio. É claro que deve haver uma mobilização entre todas as pessoas do prédio. Mas, é possível. Buscamos as atitudes mais relevantes para diminuição de valor. Que tal reunir o pessoal do prédio e colocar esses pontos em prática? Vai valer muito a pena, ainda mais que todo mundo gastará menos dinheiro.

Fique de olho nos gastos com energia elétrica

Luzes sempre acessas, por exemplo, são gastos desnecessários e que podem ser evitados. Instale sensores nas áreas comuns do prédio e deixe que elas só se acendam quando, de fato, houver alguém circulando por lá. Além disso, substituir as lâmpadas tradicionais por econômicas ou de LED serão atitudes necessárias e que irá ajudar bastante na economia.

Atente-se aos gastos com água

O que muita gente sugere é que haja instalação de hidrômetros individuais para gerir os gastos com a água e conscientizar os moradores. Essa manutenção pode gerar uma economia de até 20% ao final do mês. Além disso, verificar se há vazamentos ou infiltrações é importante.

Instalar redutores de vazão e reaproveitar água da chuva são atitudes simples e que ajudam bastante na economia dos custos de condomínio.

Não deixe que os condôminos fiquem inadimplentes

Ao notar atrasos frequentes dos condôminos tente ao máximo fazer negociações amigáveis. Isso é muito positivo para que o fluxo de caixa esteja sempre saudável e sem falta de cotas. Caso não consiga essas negociações amigáveis, entre com um processo judicial a partir do terceiro mês. Essa é uma recomendação adotada por muitos condomínios e ajuda bastante que os atrasos e inadimplências ocorram.

Fonte: ImovelWeb