No condomínio, além das unidades particulares, eles costumam estar em áreas comuns como salão de festas, sala de ginástica, sala de vídeo, brinquedoteca, salão de jogos, etc. Alguns critérios podem ajudar a fazer uma boa escolha na hora de adquirir um aparelho novo.

O primeiro passo para obter sucesso é procurar saber as dimensões exatas do ambiente onde se pretende instalar o equipamento; Também é necessário fazer um cálculo aproximado de quantas pessoas que vão frequentar o espaço no dia a dia. Isso é importante para definir o modelo e a potência corretos para o ar condicionado.

“Muitas pessoas optam por um aparelho de menor potência para um ambiente amplo, apenas porque ele custa mais barato, isto é, observando apenas o preço de venda do produto e não o custo a longo prazo. Porém, essa é uma ideia equivocada, pois um ar condicionado pequeno tende a trabalhar mais e gastar mais energia se estiver sobrecarregado, dando conta de refrigerar uma área maior que a adequada”, explica o técnico em climatização Afonso Sousa.

O consumo de energia elétrica é um aspecto muito relevante a ser considerado. Atualmente os condicionadores de ar com tecnologia inverter se apresentam como as melhores opções, pois regulam o fluxo de energia diminuindo a oscilação, reduzindo o consumo de energia, quando se detecta que o ambiente precisa de menos refrigeração ou aquecimento, o que permite uma economia de até 60%, dependendo da marca. Além da economia, os modelos inverter trabalham com gás refrigerante ecológico, que traz menos prejuízos à natureza.

Manutenção

A manutenção dos aparelhos de ar condicionado é determinante para o desempenho e vida útil do produto. Além disso, é totalmente necessária para proporcionar bem-estar e saúde aos condôminos que irão usufruir dele. É preciso realizar a higienização do filtro a cada trinta dias (ou menos, se o uso for frequente), para evitar obstrução e acúmulo de poeira. Ele pode ser lavado em água corrente. Para os condomínios localizados próximos à praia, os cuidados devem ser redobrados por conta da maresia. A visita técnica de uma assistência especializada uma vez ao ano é indicada.

Fonte: Jornal do Síndico