Com o aumento dos engarrafamentos, da poluição e dos preços dos combustíveis, as bicicletas estão cada vez mais presentes nas ruas. Além de proporcionar atividade física a quem não tem tempo de sair do trabalho, também evita o CO² (dióxido de carbono) produzido pelos veículos motorizados que poluem o meio ambiente e, na maioria das vezes, dá mais rapidez na chegada ao destino, com mais liberdade para escolher qual caminho percorrer.

Já em condomínios já existentes, a maior dificuldade para a criação de um bicicletário é a falta de espaço. Uma vez que boa parte dos condomínios veta o uso da garagem para guarda das bicicletas, pode ser difícil atender ao desejo dos moradores de não deixar a bicicleta dentro da unidade, mesmo utilizando pouco espaço.

Aprovação do bicicletário
O quórum necessário para a benfeitoria, porém, varia entre maioria simples dos presentes – quando nenhuma área comum do condomínio será alterada – para dois terços dos condôminos, se houver a necessidade de mudar uma área comum. Nesse caso, se o bicicletário for aprovado em assembleia, o ideal é que o morador insatisfeito tente trocar sua vaga com outra pessoa.

Segurança
Importante salientar que o condomínio não fica responsável por danos ou furtos das bicicletas apenas por ter um local para sua guarda. Essa responsabilidade só é passada ao empreendimento caso o bicicletário fique trancado – e que apenas o zelador possa abrir ou fechar o local.

Organização do bicicletário
A criação de um regulamento específico para o local, definindo regras e responsabilidades, e com aprovação em assembleia (maioria simples), pode evitar futuros transtornos, como a utilização incorreta de outros espaços para guardar as bicicletas. O ideal é o uso de tags nas bikes, que mostrem quem e a que unidade e bloco pertencem, também é recomendável que todas as bicicletas sejam trancadas com cadeado. Mesmo com essa identificação, sugere-se que a cada seis meses o condomínio faça uma campanha de recadastramento das bicicletas, evitando assim que equipamentos velhos de moradores que já se mudaram ocupe o espaço que poderia abrigar outra bike.