Jardins e pinturas internas são as reformas mais indicadas para serem feitas no verão; telhados devem ser evitados

Começar o ano dando a casa uma cara nova é o sonho de muita gente. E como a ansiedade não dá trégua, a vontade de começar a reforma é imediata. Há quem prefira fazer as reformas da casa no verão, por conta da predominância do tempo firme e seco. Mas como o verão traz algumas surpresas, às vezes, a reforma pode acabar levando mais tempo – e dinheiro – do que se espera. Pra te ajudar a não perder tempo, nem levar prejuízo, descobrimos as melhores (e piores) reformas para você fazer no verão. Confira!

Telhados e paredes

Mexer nessas estruturas é sinônimo de muita bagunça e sujeira, mas também de boas diferenças no conforto e na cara da casa. No verão, as chuvas são quase imprevisíveis, principalmente quando próximas às praias, por isso reformar o telhado e quebrar as paredes pode ser bem arriscado. Devido ao tempo úmido, a argamassa, o gesso e outros materiais bastante utilizados nas reformas maiores, precisam de um tempo maior para a secagem, mesmo quando as temperaturas estão bem quentes, aquela tempestade de final de tarde pode surpreender a obra. Portanto, fuja de quebra-quebras que sejam grandes demais e deixem a parte interna da casa desprotegida da chuva.

Jardins

A tempestade que pode ser o pesadelo na obra dos telhados e paredes é muito positiva na reforma do jardim. Plantas e árvores quando transplantadas precisam de uma boa rega para se fixarem e se adaptarem aos nutrientes e ao espaço do novo ambiente e nada melhor do que a natural água da chuva. Além disso, o verão coincide com o período indicado para o replantio de algumas espécies, deixando sua planta mais forte para encarar o frio do inverno.

Pinturas internas

Embora demore um pouco mais para secar a tinta, pintar as paredes internas do imóvel é uma ótima pedida. Como a família passa mais tempo na piscina ou nas áreas externas se refrescando, o risco daquela mancha de dedos na pintura nova é bem menor. Além disso, o ar quente circulando livremente dentro de casa garante uma cobertura melhor da parede, mesmo com um tempo de espera maior.

Construir ou não construir?

Essa normalmente é uma dúvida que parece irrelevante, pois o verão cria a ilusão de ser o melhor período para grandes construções, mas a opinião dos arquitetos é quase unânime: comece as reformas só a partir de março. Além dos preços diminuírem um pouco em relação aos praticados em dezembro, o período de estiagem é o melhor para manter o cronograma das obras. Quer começar logo? Use esse período de Janeiro a Março para projetar as reformas, orçar materiais e fechar com os melhores fornecedores. Por isso, se você quer construir ou reformar algo que tome tempo, prefira fazer isso depois do verão.

Tanto as grandes quanto as pequenas reformas exigem um período de planejamento para garantir que nada saia mais caro do que deve e nem tão demorado. Quanto maior a antecedência do planejamento da obra, maior será o seu poder de barganha com os fornecedores e a sua segurança de que não irá faltar material ou mão-de-obra quando ocorrer um imprevisto. Aproveite o verão para descansar e se concentrar em reformas pequenas, tanto nas áreas externas quanto nas áreas internas, e somente no planejamento das maiores.

Fonte: Imóvel Web