A partir das entrevistas realizadas, traçamos os perfis mais comuns de devedores. Cada um deles deve ser abordado de uma forma diferente, para que a cobrança seja bem sucedida. Confira:

DEVEDOR CONTUMAZ: está sempre devendo. Sabe os limites de cada ação que o condomínio pode desenvolver para receber, e vai “esticando a corda” ao máximo. Podem ser advogados, que sabem os mecanismos e os limites do processo de cobrança; empresário bem sucedido que “quebrou”; pessoas que vivem de aparência e não raro ostentam “carro último tipo” na garagem, causando mal-estar e revolta dos condôminos que pagam em dia. Tipo de abordagem e ação: não deve demorar muito para atingir o limite da régua de cobrança e seguir para o jurídico. Saiba mais sobre como lidar com devedor contumaz.

DEVEDOR PONTUAL: não tem histórico de inadimplência, nunca atrasou e agora aconteceu uma exceção. É possível que não saiba que está devendo. Pode ser um idoso, ou estar doente. Tipo de abordagem e ação: deve ser muito cuidadosa: perguntar como a pessoa quer regularizar e, a depender da situação, consultar o síndico para oferecer parcelamento em mais vezes. Pode ser usado o nosso Modelo 2 de comunicado de cobrança amigável para condôminos inadimplentes.

DEVEDOR OPORTUNISTA: sempre arranja uma desculpa para não pagar o condomínio. No momento, a desculpa perfeita é a pandemia de coronavírus, mesmo não tendo qualquer vestígio de redução de renda ou perda de emprego. Tipo de abordagem e ação: sempre polida, mas incisiva, indo direto ao ponto.

DEVEDOR ATRAPALHADO: não tem um bom controle da vida financeira. Não é maldoso, nem contumaz, só deu um passo maior que a perna. Por tomar decisões impulsivas, pode ter se “enrolado” com alguma compra parcelada desnecessária que comprometeu o orçamento. Tipo de abordagem e ação: ajudá-lo a se organizar, facilitando o acordo com número de parcelas, valor e data de vencimento que acompanhem seu fluxo financeiro de modo a garantir o pagamento da dívida. Pode ser usado o nosso Modelo 3 de comunicado de cobrança amigável para condôminos inadimplentes.

CONDÔMINO DE “PRIMEIRA VIAGEM”: é aquele que nunca morou em condomínio, não tem experiência necessária para entender os direitos e deveres do condômino. Normalmente acha que a cota condominial visa ao lucro e não tem a informação de que é um rateio para pagar as contas do empreendimento. Tem dificuldade em compreender prestação de contas, previsão orçamentária e “se sente explorado”. Tipo de abordagem e ação: deve haver muita didática e comunicação pedagógica, explicar regras básicas da vida e condomínio e da relação condômino x condomínio. Pode ser usado o nosso Modelo 1 de comunicado de cobrança amigável para condôminos inadimplentes.

CASO HUMANITÁRIO: sabe-se comprovadamente que o condômino está enfrentando problema grave, que vai ter um final triste, como uma pessoa da família que está com doença terminal ou falecimento do provedor da família. Tipo de abordagem e ação: são casos a serem tratados como exceção e que seja sustentável perante os demais condôminos. Para esses casos, o condomínio deve de fato agir como comunidade, e a solidariedade deve aparecer. Em comum acordo, devem facilitar ao máximo o acordo e alertar sobre os riscos envolvidos em manter a situação irregular (situação extrema: imóvel ir a leilão).